#32 A vida é curta demais pra você ficar comprando

Então você decidiu simplificar e adotou um estilo de vida minimalista. E se tomar essa decisão foi algo simples para você, talvez quem está a sua volta, observando toda essa mudança, não possa dizer o mesmo. Afinal, como explicar para os outros o que é de fato o minimalismo? Como fazê-los entender que o minimalismo não é, nem de longe, sobre privação?

A verdade é que nós, como sociedade, temos uma visão muito distorcida das coisas. Ainda associamos – de maneira bem equivocada, diga-se de passagem – o minimalismo com a ideia de um sacrifício. Parte-se do pressuposto de que não ter – ou não comprar – algo, seja o que for, precise-se ou não daquilo, é uma coisa ruim. E aí fica difícil que aceitem que sim, você é mais feliz fazendo exatamente o contrário do que temos como o modelo de algo bom.

Para quem pensa sob esta lógica, aceitar que uma pessoa decida não ter e não comprar as coisas por livre e espontânea vontade, simplesmente porque se sente melhor assim, é como criar um nó na cabeça. Afinal, se ter e comprar é o que é bom, é um prazer, como pode alguém ser feliz sem fazer isso?

noah-silliman-265887-unsplash
Photo by Noah Silliman on Unsplash

Eu mesma, confesso, tinha esse tipo de preconceito. Antes de assistir ao documentário que mudou minha vida e me apresentou ao que hoje eu entendo como minimalismo, eu tinha muita resistência à ideia. Comprar era um hobby. Era a minha terapia. Era algo que preenchia os meus dias e que me fazia feliz. Como eu poderia viver sem aquilo?

Assim como as pessoas que hoje não me entendem, eu também não entendia. E eu não me culpo, pois é realmente difícil entender. Principalmente quando passamos a vida inteira sendo convencidos do contrário. E foi só quando eu comecei a questionar tudo isso que a ideia do minimalismo passou a fazer sentido pra mim.

Quando eu consegui me convencer de que um não – seja para não ter, seja para não comprar – nem sempre é algo necessariamente negativo, eu finalmente entendi. E eu pude enfim me libertar daquela ideia de que a vida é curta demais pra gente ficar se privando.

Porque, na verdade, a vida é curta demais mesmo. Curta demais pra gente perder tempo acreditando que a felicidade está nas coisas que temos ou compramos. E isso sim é a essência do minimalismo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s