Category: minimalismo

#92 O minimalismo é o caminho – e não o destino

“Quantas peças posso ter no meu armário? Três pares de tênis é demais ou eu posso ficar com todos? Na cozinha, o que é e o que não é essencial? E os meus livros?! Como vou me desfazer se gosto tanto deles?”

Na mesma medida em que cresce o interesse das pessoas pelo minimalismo, crescem também as dúvidas sobre o que pode e o que não pode nesse estilo de vida.

E embora algumas regras possam ser úteis para quem está começando a sua caminhada minimalista, devemos ter cuidado para não transformar a necessidade de deixar ir em um fardo tão pesado quanto o apego às nossas coisas. Read More

#91 Efeito Diderot: você também sofre desse ‘mal’?

Não conheço pessoa que nunca tenha passado por isso: estava satisfeita com as coisas que tinha até o momento em que comprou algo e, não mais que de repente, sentiu que tudo aquilo já não era o suficiente – e que, portanto, precisava de mais.

É aquela velha – e conhecida! – história: um belo dia você resolve comprar uma brusinha, e logo percebe que também pre-ci-sa levar um casaco, uma calça, um sapato…tudo para combinar com aquela primeira compra, que parecia inofensiva mas acabaria se tornando o primeiro passo em uma espiral de consumo nem um pouco legal. Read More

#90 Parece Óbvio na revista do IDEC!

Com licença que hoje eu tô me achando – e tenho bons motivos pra isso!

Como quem acompanha o Parece Óbvio pelo instagram já sabe – e se você ainda não nos segue por lá, é só clicar aqui para corrigir esse erro terrível (kkk) -, em janeiro deste ano nós tivemos a honra de conceder a nossa primeira entrevista sobre um dos assuntos que mais gostamos de falar por aqui: o minimalismo! Read More

#88 O que viver ‘sem’ me ensinou sobre liberdade

Enquanto alguns consideram o desafio de viver sem um verdadeiro sacrifício, eu acredito que essa pode ser uma experiência bastante positiva em muitos sentidos.

Dispor-se a experimentar como seria a vida sem certos costumes ou facilidades que normalmente fazem parte da nossa rotina é uma excelente oportunidade de aprender mais sobre a gente mesmo – e sobre como mesmo no exercício da privação também pode existir liberdade. Read More

#84 Sete ideias para um Natal minimalista

Então é Natal…e tão importante quanto pensar no que você fez, talvez seja pensar no que você vai fazer para celebrar essa data tão cheia de tradições.

Para inspirar aqueles que pretendem receber o Papai Noel sem deixar de lado o seu eu minimalista, resolvi dividir com vocês sete ideias que eu tenho tentado colocar em prática na minha programação natalina – e que, até agora, tem me ajudado a atravessar essa época do ano de uma forma muito leve e tranquila! Read More

#83 Minimalismo e viagens: como foi viajar só de mochila?

Nós ainda estávamos no topo das escadas quando o barulho do metrô chegando à plataforma começou a soar. “Corre que dá pra gente pegar esse mesmo”, ele falou. E mesmo sem nunca ter entendido direito essas pessoas que correm para pegar um transporte que passa de cinco em cinco minutos – não é só esperar pelo próximo? -, eu fui.

Nem pensei muito – só fui.

Ou melhor, fomos: eu, meu mochilão e aquela liberdade que só quem consegue aplicar o minimalismo às suas viagens – e levar tudo de que precisa nas costas – pode aproveitar. Read More

#81 Minimalismo e viagens: o que eu levei na minha mochila para 26 dias na Europa

Quando eu digo que o minimalismo revolucionou a minha vida, não é exagero: antes de conhecer esse conceito, eu era o tipo de pessoa que viajava com uma mala pesadíssima e voltava com duas, ambas lotadas de roupas, lembranças e toda sorte que quinquilharias que eu encontrava pelo caminho.

Nesse processo de deixar de ser a pessoa que levava mais bagagens do que conseguia carregar para me tornar aquela que passa quase um mês levando só uma mochila, muitas mudanças aconteceram. Read More

#63 O que aprendi ficando (mais) um mês sem looks repetidos | Desafio ‘2018, o ano do sem’

Eu nem vou tentar me justificar. Mais um mês chegou ao fim e eu não consegui produzir os posts do ‘ano do sem‘ como gostaria. E ao mesmo tempo em que isso me deixa um tanto quanto frustrada, eu também tenho tentado encarar a situação como uma oportunidade de ser mais paciente comigo mesma.

Porque se tem uma coisa que eu sei fazer bem, essa coisa é me cobrar. Meu monstrinho da autocobrança é muito eficiente: basta uma coisa não sair como o planejado para ele começar a trabalhar enlouquecidamente. Vocês não imaginam a batalha que é convencê-lo a parar. Read More