Category: desenvolvimento pessoal

#88 O que viver ‘sem’ me ensinou sobre liberdade

Enquanto alguns consideram o desafio de viver sem um verdadeiro sacrifício, eu acredito que essa pode ser uma experiência bastante positiva em muitos sentidos.

Dispor-se a experimentar como seria a vida sem certos costumes ou facilidades que normalmente fazem parte da nossa rotina é uma excelente oportunidade de aprender mais sobre a gente mesmo – e sobre como mesmo no exercício da privação também pode existir liberdade.

Como quem acompanha o Parece Óbvio há algum tempo já sabe, esse foi justamente o tema do desafio que resolvi enfrentar ao longo de 2018, que chamei de ‘ano do sem‘: durante vários meses, escolhi hábitos e coisas que considerava prejudiciais para o estilo de vida minimalista que desejo cultivar e me propus a viver 30 dias sem aquilo – uma ideia simples na teoria, e que se mostrou reveladora na prática!

Read More

#86 Retrospectiva 2018: os melhores posts do ano | PARTE 2

Enquanto 2019 não chega, seguimos em clima de retrospectiva por aqui!

Como expliquei no último post, gosto de aproveitar essa época do ano para refletir sobre todas as experiências que eu tive a oportunidade de viver nos meses que se passaram. É assim que eu faço um balanço do que aconteceu e me preparo para o que está por vir!

E pra encerrar esse ano tão cheio de conquistas em grande estilo, hoje trago a segunda parte da seleção de melhores posts publicados no Parece Óbvio em 2018.

Reler tudo o que eu escrevi durante os últimos meses foi uma delícia – e eu espero que vocês se divirtam lendo tanto quanto eu me diverti!

Chegando no Parece Óbvio agora? Para mais conteúdo sobre minimalismo e desenvolvimento pessoal, siga-nos no Instagram e curta a nossa página no Facebook!

#38 Voltar pra casa também é bom

Em março desse ano, depois de passar alguns dias um tanto quanto perdida e sem saber o que fazer em São Paulo, comecei a refletir sobre como temos supervalorizado o ato de viajar – e o quanto isso pode ser enganoso:

“Fiquei com a impressão de que nessa de dar tanta importância à ideia de viver momentos e não acumular coisas, podemos estar perdendo a essência de algumas experiências. Afinal, faz sentido viajar somente por viajar? Sair de casa somente para poder dizer que se foi a algum lugar, mesmo quando não temos nada de interessante a fazer por lá?”

Para ler esse post, clique aqui.

Processed with VSCO with e3 preset

#54 Dicas simples para usar redes sociais em viagens de maneira inteligente

Esse post é um dos meus queridinhos do ano! Além de ter sido o responsável pela minha estreia no blog do Hostelworld, nele reuni dicas que considero essenciais para equilibrar a vida online e a offline durante uma viagem (e que vira e mexe volto pra consultar!):

“Quantas vezes, no seu dia a dia ou durante uma viagem, você se pegou dedicando boa parte do tempo das experiências que estava vivendo tentando fazer uma foto ou um vídeo do momento? E então, depois disso, procurando pelo melhor filtro, pelas melhores edições e pela melhor legenda que tornariam tudo aquilo mais atraente – e curtível – do que já era?”

Para ler esse post, clique aqui.

#59 Minimalismo e a mágica de ter mais com menos

Não é segredo pra ninguém o quanto o minimalismo mudou a minha vida. Nesse post, tentei esclarecer qual é a minha visão sobre esse estilo de vida – e o quanto eu o enxergo muito mais como uma mentalidade do que como um conjunto de regras a obedecer:

“O minimalismo, em essência, trata muito mais da adoção de uma mentalidade do que da obediência a um conjunto de regras. Ser – ou tentar ser – minimalista é adotar uma nova forma de pensar. É viver de acordo com o que se acredita ser mais importante, eliminando aquilo que nos afasta da vida que desejamos ter. E isso vai muito além das coisas que podemos possuir ou comprar.”

Para ler esse post, clique aqui.

#65 Minimalismo no shopping: 5 dicas para fazer compras mais inteligentes

Aqui, outro post que vira e mexe eu releio pra conferir as dicas que eu mesma dei (sou dessas, gente! kkk):

“Pessoalmente, eu acredito que a resposta para o que é – e também para o que não é – ser minimalista passa longe de formulações no estilo tudo ou nada. Para mim, não é a adoção ou o abandono de certos comportamentos que vai definir o grau de comprometimento de alguém com este estilo de vida. Eu outras palavras, eu não acredito que para aderir ao minimalismo você nunca mais possa comprar. Ou que você nunca mais possa ter ou fazer coisa nenhuma. Na minha visão, você pode tudo – desde que este tudo venha acompanhado de equilíbrio e consciência.”

Para ler esse post, clique aqui.

#77 Três dicas para ser uma pessoa mais positiva

Escrevi esse post durante um dos últimos desafios do abandonado ano do sem – setembro sem reclamar, quem lembra? -, e continuo achando ele super válido para qualquer momento do ano (sim, esse é outro que eu vivo relendo também!).

“O fato é: problemas sempre vão existir. Não há nada que você possa fazer para mudar essa realidade. E é muito mais fácil ser uma pessoa positiva quando você faz as pazes com isso – e entende que a única saída é encarar as coisas de outra forma. Sem brigas.”

Para ler esse post, clique aqui.

#78 Como ser o seu melhor amigo

Diferente dos outros, esse é um post que eu coloco na categoria do “deveria ler mais”. Nele, compartilhei algumas dicas para cultivarmos a amizade mais importante da nossa vida: a com nós mesmos.

“Por mais que existam diferentes tipos de amizade, a verdade é que todo mundo concorda quanto ao que define um verdadeiro amigo: afeto, respeito, confiança, parceria…e a lista segue, repleta de bons sentimentos. O curioso é que, ao mesmo tempo em que temos a maior facilidade em apontar as características de um bom amigo – e a colocá-las em prática nas nossas amizades -, frequentemente nos esquecemos de dispensar essa mesma consideração a nós mesmos.”

Para ler esse post, clique aqui.


E esta foi a segunda – e última! – parte da nossa retrospectiva, onde reuni aqueles que considero os melhores posts publicados no Parece Óbvio no ano de 2018.

Espero que tenham gostado das minhas escolhas, e que a leitura desses textos tenha inspirado vocês de alguma forma. 

Um excelente ano novo pra todos nós e até 2019!

#85 Retrospectiva 2018: os melhores posts do ano!

Não sei como tem sido os dias de vocês aí do outro lado mas, por aqui, o clima já é de retrospectiva!

Embora ainda faltem alguns dias para 2018 terminar, acho muito gostoso tirar um tempinho para olhar para trás e relembrar todas as experiências que tivemos a oportunidade de viver no ano que se passou. Quanta coisa incrível pode acontecer em 365 dias!

Para encerrar esse ciclo com chave de ouro, resolvi reunir aqueles que considero os melhores posts publicados no Parece Óbvio em 2018.

Reler tudo o que escrevi para fazer essa seleção foi uma delícia – e eu espero que vocês curtam tanto quanto eu essa retrospectiva!

Chegando no Parece Óbvio agora? Para mais conteúdo sobre minimalismo e desenvolvimento pessoal, siga-nos no Instagram e curta a nossa página no Facebook!

#11 Pequenos Passos

Neste post, refleti sobre como grandes mudanças de vida podem começar de maneira pequena – e sobre como é preciso ter paciência para compreender isso:

“Entre as tantas lições que aprendi e agora levo comigo, está o fato de que toda mudança de vida, da mais simples à mais complicada, começa sempre com um primeiro – e pequeno – passo. Abandonar velhos hábitos e cultivar novos leva tempo. Nada acontece do dia para a noite. Ninguém corre uma maratona, perde 10 quilos ou se torna minimalista em um mês. Verdadeiras transformações acontecem aos poucos – e dependem das nossas ações para acontecer.”

Para ler o post #11 Pequenos Passos, clique aqui.

#16 Feito é melhor que perfeito

O título desse post é um lema pra vida! Nele, escrevi sobre como devemos deixar o medo de lado e começar a fazer o que temos vontade, pois é só com a prática que nos tornamos melhores:

“Imaginem só se, nos primeiros passinhos desequilibrados, desistíssemos de aprender a andar. Ou se, na dificuldade de decifrar algumas sílabas mais complicadas, resolvêssemos desistir de ler. Quantas oportunidades perderíamos na vida se desde cedo agíssemos como o nosso eu adulto, que simplesmente desiste por pensar que não é bom o bastante?”

Para ler o post #16 Feito é melhor que perfeito, clique aqui.

#18 O que você fez hoje

Neste post, propus um exercício de reflexão: será que as nossas ações diárias estão nos deixando mais próximos ou mais distantes dos nossos objetivos? Super válido para essa época do ano!

“Para mim, refletir desta forma foi revelador. Só depois de colocar no papel eu pude perceber o quanto dos meus dias estavam sendo desperdiçados em atividades que não só não me levavam a lugar algum como me afastavam de onde eu desejo chegar.”

Para ler o post #18 O que você fez hoje, clique aqui.

#21 O que aprendi ficando um mês sem redes sociais

O desafio de viver um mês sem redes sociais foi o primeiro que encarei no abandonado ano do sem (kkk), e foi extremamente revelador:

“É difícil admitir, mas eu era o principal problema. Eu não sabia mais ficar sozinha com os meus próprios pensamentos – a cada brecha que se abria no meu dia, eu seguia sempre o mesmo roteiro e me jogava no feed de notícias sem nem pensar duas vezes. E como essas ferramentas são desenhadas para que nós fiquemos o máximo de tempo possível vidrados na telinha, era por lá mesmo que eu ficava.”

Para ler o post #21 O que aprendi ficando um mês sem redes sociais, clique aqui.

#35 Seja o seu maior fã

Um daqueles posts em que abri o meu coração e falei sobre a dificuldade que eu tinha – e que em certa medida ainda tenho – de me mostrar empolgada com as coisas que estou fazendo:

“Como se ninguém nunca houvesse falhado ou cometido um erro que colocou por água abaixo os seus planos, eu optava por silenciar os meus desejos por puro medo. Medo do que os outros iam pensar de mim caso eu falhasse. Lidar com a minha frustração já seria problema o suficiente; que dirá ter de explicar isso para todo mundo!”

Para ler o post #35 Seja o seu maior fã, clique aqui.

#36 Redefinindo o que é sucesso

Neste post, refleti sobre como eu nunca havia questionado o que significava ter sucesso para mim – e sobre como a minha visão sobre esse assunto mudou depois que eu me permiti pensar nela com mais atenção:

“Eu costumava associar o sucesso – equivocadamente, agora eu sei – ao aspecto financeiro da vida de uma pessoa. Ter sucesso era acumular conquistas profissionais que garantissem uma renda polpuda e um bom padrão de vida; era ganhar o suficiente para poder fazer tudo o que se tivesse vontade sem ter de se preocupar com o fim do mês ou o cheque especial; era, em resumo, ter dinheiro. E só.”

Para ler o post #36 Redefinindo o que é sucesso, clique aqui.



E aí, o que acharam das minhas escolhas? Na minha opinião, esses foram alguns dos melhores posts do ano aqui no Parece Óbvio!

Na semana que vem, libero a segunda parte dessa retrospectiva!

#82 Cinco apps que tornam a minha vida mais fácil

Eu (ainda) não tenho poderes de adivinhação, mas aposto que a maioria de vocês está me lendo agora na tela de um smartphone.

E o motivo que me faz ter tanta certeza é bastante óbvio: esses aparelhinhos estão tão presentes no nosso dia a dia que já se tornaram verdadeiras extensões de quem somos – chegando ao ponto de, para algumas pessoas, ser um grande desafio passar algumas horas sem eles.

Mas ao mesmo tempo em que isso pode ser um problema, eu acredito que também pode ser uma solução!

Como quem acompanha o Parece Óbvio há algum tempo já sabe, desde o momento em que aceitei o desafio de passar um mês sem redes sociais – quem se lembra da nossa primeira experiência do ano do sem? -, entendi que o principal problema dos nossos smartphones não são os aparelhos em si, e sim a forma como os utilizamos.

Isto é: em vez de usar nossos telefones como uma fuga de tudo aquilo que não desejamos enfrentar, podemos trilhar o caminho oposto e usá-los como uma ferramenta que nos ajude a viver de maneira mais leve e com (muito) mais consciência.

E foi pensando em dividir com vocês algumas das formas que eu uso o smartphone como um aliado no meu dia a dia, que hoje eu vou mostrar 5 aplicativos que tornam a minha vida mais fácil – e que, se usados da maneira correta, podem tornar a sua também. 🙂

Para manter as finanças sob controle: Money Pro

Eu sempre fui a louca dos caderninhos de orçamento mensal – e quem conhece o meu pai, sabe exatamente de onde eu “peguei” essa mania. E embora eu ainda tenha uma agenda onde faço o acompanhamento das minhas contas fixas, os gastos pequenos do meu dia a dia são todos registrados no Money Pro.

O funcionamento do app é bem simples: você cria categorias de acordo com os itens em que costuma gastar, registra todas as suas compras e pagamentos no aplicativo e depois é feliz (ou nem tanto, né? kkk) gerando gráficos e relatórios de acordo com os filtros que ele oferece!

Se usado direitinho, é o aplicativo perfeito pra quem quer saber para onde está indo o seu dinheiro!

Money Pro está disponível para iOS e Android, e custa R$ 7,90 – você paga apenas uma vez e usa para o resto da vida! Para quem tem iphone, o app também oferece uma versão Lite, que é grátis.

Para me manter informada: Feedly

Eu tenho o costume de acompanhar diversos sites e blogs sobre temas bem diferentes, e o fato de não tê-los “organizados” em um só lugar era uma coisa que me incomodava bastante…até o dia em que eu encontrei o Feedly e ele tornou o meu sonho obsessivo-compulsivo uma realidade!

O aplicativo permite que você siga todas as páginas que costuma ler, separe-as por categorias e ainda crie boards com suas publicações favoritas. Além disso, na versão pro, você pode destacar trechos que considerou interessantes – o que é uma mão na roda pra mim, que vira e mexe encontro nos textos inspirações aqui pro site.

Feedly está disponível para iOS e Android, e é grátis!

Para manter a calma: Insight Timer

Embora eu não tenha o costume de meditar com aplicativos – como fiz o curso da Sati, continuo usando os áudios de meditação guiada deles -, esse é um daqueles que me ajuda quando eu não tenho muito tempo disponível e preciso dar uma desacelerada nos pensamentos.

O app tem várias funções mas a única que eu uso é o timer, onde você pode selecionar a duração da meditação, os sinos que marcam o início e o fim da sessão e o som ambiente. E o que acho mais legal: quando você termina, ele mostra quantas pessoas também estavam meditando naquele momento!

Insight Timer está disponível para iOS e Android, e é grátis!

Para criar novos hábitos: Streaks

Criar – e principalmente manter! – novos hábitos é um grande desafio, e acompanhar como você tem se saído nessa empreitada pode fazer a diferença entre ter sucesso ou não.

E o que o Streaks faz é basicamente facilitar esse acompanhamento: você registra os hábitos – as ‘tarefas’ – que deseja cumprir, estabelece uma periodicidade para eles e, toda vez que os cumpre, marca no aplicativo. Querendo saber como tem sido o seu desempenho, basta clicar no ícone da tarefa para conferir no calendário os dias em que ela foi feita!

Streaks está disponível para iOS, e custa R$ 18,90.

Para não esquecer nenhuma tarefa: Todoist

Por último mas não menos importante, o meu grande amigo de todas as horas: Todoist!

Simplesmente porque não existe sensação mais gostosa do que a de riscar uma tarefa feita da nossa lista de afazeres!

Todoist está disponível para iOS e Android, e é grátis!


E aí, o que acharam? Esses são os 5 aplicativos que tornam a minha vida mais fácil – e que eu acredito que, se usados com sabedoria, podem tornar a vida de qualquer outra pessoa também.

Agora eu quero saber de vocês: alguém aí já usava algum desses aplicativos? Tem algum outro app que não entrou nessa lista e que eu deveria conhecer? Me contem nos comentários!

Para mais conteúdo sobre minimalismo e desenvolvimento pessoal, siga o Parece Óbvio também no Facebook e no Instagram.

#77 Três dicas para ser uma pessoa mais positiva

Quando decidi que o meu próximo desafio do ‘ano do sem‘ seria o setembro sem reclamar, muitas pessoas me procuraram para saber como eu pretendia passar um mês inteiro sem dar uma reclamadinha sequer.

Como assim, Carol? Tantos problemas no mundo, o país às vésperas das eleições, e você vem me dizer que não vai reclamar? Tá ficando maluca? Eu jamais conseguiria fazer algo assim!

Divididos entre a curiosidade e a desconfiança, todos achavam muito difícil a ideia de ficar tanto templo sem reclamar. E eu super entendo: há alguns meses, eu também acharia isso. Read More

#73 Estamos de volta!

Sejam bem vindos ao novo Parece Óbvio! Depois de duas semanas com o site fora do ar devido à troca de servidor, finalmente estamos de volta – com direito à layout novo e muitas saudades!

Além da transição para o wordpress.org e da configuração do novo layout, esse período off também serviu para que eu pudesse organizar as ideias e refletir sobre o caminho que percorri até aqui. Read More

#71 Mindfulness: cinco dicas simples para você começar a meditar hoje mesmo

Se você estava à espera de um sinal dos céus para finalmente começar a meditar, aqui está o seu sinal. 😉

Desde o momento em que comecei a levar mais a sério a minha prática de meditação – o que inevitavelmente me levou a perceber todos os benefícios que ela pode gerar -, me tornei uma verdadeira missionária da palavra do mindfulness. Read More