#9 Destralhe na prática

Então você decidiu viver de maneira mais simples mas não sabe por onde começar? Como prometi no nosso último post, hoje trago algumas dicas práticas que foram bastante úteis no meu processo de “destralhe”. Respira fundo, abre esse coraçãozinho acumulador e vem comigo! Prometo que vai ser bem mais fácil do que parece. 😉

1 – Tenha calma: grandes mudanças não acontecem do dia para a noite! Assim como você levou um certo tempo para acumular todas essas coisas, certamente vai ocorrer o mesmo para mandá-las embora. Não tenha pressa e não se sinta pressionado – nem pelos outros, nem por você mesmo. Lembre-se de que o objetivo aqui é ter uma vida mais leve – e não mais um motivo para sentir-se estressado!

2 – Um passo de cada vez: divida as áreas da sua vida onde deve ocorrer o destralhe em unidades menores. Se o foco é o seu guarda-roupas, por exemplo, separe-o por tipos de peças – peças de baixo, peças de cima, casacos, calçados, etc. Faça o mesmo com os outros cômodos da casa e lide com cada grupo de uma vez. Enfrentar desafios menores é muito mais fácil e encorajador!

#9_img

Enfrente um grupo de itens de cada vez

3 – Assuma um compromisso: planeje-se e coloque isso no papel. Organize um cronograma prevendo quais espaços você vai destralhar a cada dia ou semana, e cumpra-o como um dever. Dedicar alguns minutos ou horas do seu dia para a atividade torna o desapego um verdadeiro hábito – e se o que você quer é aderir a um estilo de vida minimalista, esse é um ótimo caminho.

4 – Pense pelo avesso: em vez de olhar para todas as suas coisas e pensar no que você pode passar adiante, experimente ir pelo caminho contrário e escolher aquilo que você faz questão de manter. Essa é uma ótima estratégia pois permite que o seu foco fique voltado para os itens de que você realmente gosta ou precisa, deixando em segundo plano aqueles  desnecessários que já estão fazendo hora extra na sua vida.

5 – O destino também é importante: embora o objetivo do destralhe seja tornar a sua vida mais leve, pensar na destinação que vai ser dada às suas coisas também é necessário! Optando por doar ou vender os seus itens, o importante é que eles tenham utilidade para a vida da pessoa que os recebe. Tenha em mente que o ato de destralhar não pode servir como uma mera transferência de problemas – ou seja, destralhar-se enchendo os outros de tralha não é a solução!

Essas foram algumas das dicas que me ajudaram – e seguem ajudando! – nesse processo contínuo e praticamente interminável que é o destralhe. Optando por segui-las ou criando o seu próprio método, o importante é que a experiência de dar adeus às suas coisas seja leve e prazeirosa – exatamente do jeitinho da vida que você vai passar a ter.

Se você tem alguma outra dica para ajudar quem está começando nessa jornada – ou se você mesmo vai começar e quer algumas palavras de apoio e incentivo! -, conte aí nos comentários!

 

 

 



compartilhe




posts relacionados



comentários


0 Comments

  1. Depois de uma relação de 26 anos, numa casa há 20, uma vida que de há 13 anos para cá desejo de forma mais simples e genuína comigo mesma, uma separação diz-me que chegou o momento.
    Agradeço este post, e todas e qualquer dicas que daqui possam vir. São 5 assoalhadas, duas arrecadações , agora somos três. Já fomos 4. 20 anos dentro de uma casa, é muita coisa mesmo…

    • Oi, Sandra! Muito obrigada pelo seu comentário, espero que o conteúdo do blog possa ajudar você nessa mudança de vida! Muita paciência para aceitar o seu ritmo e força para encarar as transformações deste período! Grande beijo!

  2. Pingback: #59 Minimalismo e a “mágica” de ter mais com menos – Parece Óbvio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *