#54 Dicas simples para usar redes sociais em viagens de maneira inteligente

Processed with VSCO with e3 preset

O texto de hoje foi originalmente publicado no blog do Hostelworld. Mas antes de passar para o conteúdo propriamente dito, um pouquinho de contextualização: desde o dia em que criei o Parece Óbvio e decidi que ia levar a sério essa história de ter um blog, alguns eventos curiosos começaram a acontecer comigo. Coisas que só fizeram com que eu acreditasse ainda mais na ideia de que perder o medo de admitir – para os outros e para nós mesmos – o que queremos fazer de verdade é o primeiro passo para que oportunidades de fazer justamente aquilo comecem a surgir.

E embora existam pessoas que acreditem em coincidências – e eu até concorde com elas em certa medida -, a verdade é que eu também acredito em algo maior do que isso: que a partir do momento em que perdemos o medo e finalmente começamos a agir na direção do que faz o nosso coração vibrar, jogamos uma energia tão poderosa para o universo que ele não tem outra opção a não ser retribuir na mesma medida. E isso se traduz em possibilidades que talvez a gente nunca tenha imaginado – mas que existem e estão ali, só esperando por nós.

O texto de hoje, publicado originalmente no blog do Hostelworld, é exemplo disso –  assim como são as minhas participações n’O Poder da Gravata e em outros projetos que em breve vocês também vão ficar sabendo. Que venham mais ideias, espaços e oportunidades de espalhar as minhas palavras por aí. <3


4 dicas simples para usar redes sociais em viagens de maneira inteligente

Que as redes sociais podem ser uma ferramenta incrível para ajudar a planejar a sua viagem ou conhecer pessoas em um novo destino, disso ninguém duvida. Mas será que nós estamos sabendo identificar o limite que separa o seu uso saudável daquele que nos prejudica? Será que as redes sociais estão mesmo só nos ajudando – ou talvez estariam também atrapalhando as nossas viagens?

Se essas perguntas conseguiram colocar uma pulguinha atrás da sua orelha e você ficou na dúvida sobre como responder, experimente ir um pouco mais fundo na reflexão. Se questione também: quantas vezes, no seu dia a dia ou durante uma viagem, você se pegou dedicando boa parte do tempo das experiências que estava vivendo tentando fazer uma foto ou um vídeo do momento? E então, depois disso, procurando pelo melhor filtro, pelas melhores edições e pela melhor legenda que tornariam tudo aquilo mais atraente – e curtível – do que já era?

Se você se convenceu de que precisa repensar a sua relação com as redes sociais, porém ainda não sabe muito bem por onde começar, aí vão algumas dicas para aprender a usá-las de maneira mais saudável durante as suas viagens – e aproveitar assim o melhor dos dois mundos, tanto o online quanto o off-line.

1. Registre na hora, poste depois

Em certos momentos, não ter acesso à internet pode ser uma bênção. Porque, se formos parar para analisar friamente, o ato de tirar uma foto ou fazer um vídeo não toma tanto tempo assim. O problema é que nós, seres humanos, não temos limites. Nós não queremos uma foto. Queremos várias. E não só queremos várias como, tão logo as tiramos, queremos compartilhá-las com o mundo, o que leva ao ciclo sem fim de ter de escolher a melhor, encontrar o filtro e as edições que a deixem mais atraente, escrever a legenda que vai acompanhá-la e checar incessantemente quantos de nossos amigos já deram o seu like. E isso sim toma tempo.

Tempo esse que poderíamos estar usando para aproveitar de verdade aquele lugar que esperamos tanto para visitar. Para olhar a nossa volta e reparar em todos os detalhes – as cores, os sons, os cheiros e todas as sensações envolvidas em uma nova experiência. Porque, por mais bacana que seja ter uma foto para lembrar de como foi legal quando estivemos naquela cidade, muito melhor é gravar na memória como nos sentimos naquele momento. E isso só é possível quando nos deixamos viver inteiramente o aqui e agora, sem distrações.

2. Crie a “hora das redes sociais”

Você não precisa esperar o fim da viagem para colocar em prática a filosofia do ‘registre agora, poste depois’. É possível sim encaixar o online e o offiline na sua rotina de maneira que nenhum dos dois saia prejudicado. Que tal estabelecer um momento – 20 ou 30 minutos, quem sabe? – para ser a sua ‘hora das redes sociais’ no dia? Durante este intervalo, permita-se publicar, verificar os likes, responder aos comentários e até mesmo rolar o feed sem culpas. A única regra é que, terminado este momento, você se lembre de que a sua hora acabou e volte para o mundo real.

Experiência própria: quando você combina consigo mesmo que vai poder fazer o que quiser desde que espere até o momento adequado, fica muito mais fácil controlar os impulsos de agir modo automático. É como prometer as coisas para uma criança – só que, nesse caso, a criança e o adulto são a mesma pessoa, você mesmo.

Prometa a você que aqueles minutinhos depois do banho ou antes de dormir vão ser dedicados a atualizar as suas redes sociais, e lembre-se disso toda vez que surgir aquela vontade de fazer isso durante o dia. Eu juro que isso vai tornar tudo mais fácil.

E, embora pareça óbvio, não custa nada lembrar: tente fazer com que este intervalo aconteça em momentos em que você vai estar sozinho, sem fazer nada mesmo. Deixar de interagir com quem está a sua volta para interagir nas redes sociais não vale, hein?

3 . Antes de pegar o celular, pense

Alerta de dica não só para viagens, mas para a vida! Estamos tão acostumados a agir no modo automático que, muitas vezes, entramos nas redes sociais sem nem pensar no que estamos fazendo. Você simplesmente pega o celular e, tcharam, quando vê está rolando o feed sem se dar conta. E embora você possa tentar driblar este comportamento apagando os aplicativos do seu celular ou escondendo-os em uma pasta, existem maneiras mais fáceis e adultas de fazer isso. Como? Pensando!

Eu sei que é uma dica óbvia, mas estou falando sério. Adquira o hábito de pensar no que precisa fazer antes de pegar o celular. Quer consultar um mapa? Procurar um lugar para comer? Tirar uma foto? Fazer um vídeo? Tudo certo, você pode fazer o que quiser! Mas se comprometa a fazer apenas isso, e nada mais. Não caia na armadilha de dar só uma olhadinha nas suas notificações. Não é este o momento – você vai ter um tempo pra fazer isso mais tarde, lembra?

4. Lembre-se do porquê

Reconecte-se com o seu propósito. Por que você viaja? Ou melhor: para quem você viaja? Para você ou para os outros? Querer compartilhar as suas experiências com aqueles que você ama é natural, todos sabemos disso. Porém, como em tudo na vida, exageros não são saudáveis.

Lembre-se de que o foco aqui é você e de que para tudo há um momento. De que adianta ter muitas fotos para mostrar se você não se dedica a criar memórias para lembrar? Procure o equilíbrio que atende ao seu propósito com aquela viagem, e comprometa-se com ele.

Ou seja, se liberte!

Seja qual for a estratégia que você decidir adotar, nunca se esqueça: as redes sociais não são, essencialmente, ferramentas boas ou ruins. Elas são aquilo que nós fazemos delas. O feed e as notificações não são vilões – nós mesmos é que somos, ao escolhermos dar a eles o controle do nosso tempo.

A partir do momento em que nos tornamos conscientes disso e aprendemos a traçar o limite entre o seu uso saudável e o verdadeiramente prejudicial, conseguimos aproveitar o que as redes sociais têm de melhor a nos oferecer. E, como se isso não fosse o suficiente, ainda ganhamos mais tempo e muito mais qualidade nos nossos dias e nas nossas viagens.

E isso sim merece ser compartilhado.

Este post foi originalmente publicado no blog do Hostelworld. O link para a publicação original está aqui.



compartilhe




posts relacionados



comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *