#35 Seja o seu maior fã

Sabe aquele tipo de pessoa que gosta de contar os seus planos para todo mundo? Gente que divide tudo com todos, mesmo antes de ter certeza de que as coisas vão dar certo? Nunca fui dessas.

No quesito ‘compartilhar com o mundo os meus projetos antes mesmo de saber como vou me sair neles‘, eu sempre fui bastante contida. Na maior parte das vezes, o silêncio era a minha primeira opção. Ia participar de um concurso para concorrer a uma vaga de emprego? Não contava pra ninguém. Ia prestar os exames para tirar a carteira de motorista? Também não contava.

Na minha cabeça, a lógica era esperar até que tudo estivesse confirmado para que, aí sim, eu dividisse as novidades com o mundo. O que não está de todo errado – afinal, manter certa dose de reserva em relação aos outros é, sim, um comportamento saudável (como a Lari do PDG bem explicou neste vídeo aqui).

O problema eram os motivos que me levavam a agir desta forma. Eu não guardava os meus planos pra mim por nenhuma outra razão que não o medo de que eles dessem errado e eu tivesse de admitir isso na frente de todo mundo. Dentro da minha cabecinha maluca, era melhor não dividir os meus projetos enquanto eles eram apenas projetos porque, caso a vida tomasse um rumo diferente do planejado, pelo menos eu não teria de expor – e justificar – as minhas falhas para ninguém.

austin-schmid-37423-unsplash

Photo by Austin Schmid on Unsplash

Como se ninguém nunca houvesse falhado ou cometido um erro que colocou por água abaixo os seus planos, eu optava por silenciar os meus desejos por puro medo. Medo do que os outros iam pensar de mim caso eu falhasse. Lidar com a minha frustração já seria problema o suficiente; que dirá ter de explicar isso para todo mundo!

E eu confesso que nunca havia questionado este meu comportamento até poucos dias atrás, quando recebi no meu e-mail uma newsletter da Debbie, do Pequenos Monstros. Na mensagem, ela contava que estava cheia de planos mas que ainda não se sentia confortável o suficiente para dividir isso com ninguém, e que isso mudou depois de ela ouvir um podcast no qual falavam que não podemos esperar que outras pessoas fiquem empolgadas com o que nós estamos fazendo se nem nós mesmos nos mostramos empolgados com elas.

E sabe quando você lê uma coisa que nunca havia passado pela sua cabeça, mas que de repente faz total sentido? Foi exatamente assim que eu me senti lendo isso. Nas palavras da própria Debbie, ela não mostrava empolgação com os seus projetos por um bloqueio que, em grande parte, tinha tudo a ver com aquela ideia de ter que contar pra todo mundo o que deu errado caso as coisas não saíssem como o planejado.

E aí, me poupando de ter que chegar a uma conclusão sozinha, ela concluía a newsletter com uma mensagem que bateu muito forte no meu coração:

Se você não estiver empolgado com alguma coisa sua, ninguém mais vai ficar. Por mais incrível que seja. Seja você a primeira fã do seu trabalho, aquela fã histérica que grita e assovia e bate palma quando todo mundo já parou. Não é ficar se achando. Não é esfregar na cara dos outros. É valorizar algo que você ama, se orgulha, acha o máximo, acha lindo.

E isso caiu como uma luva pra mim. Foi como se ela estivesse escrevendo diretamente para a minha pessoinha. Especialmente neste momento, em que eu estou me jogando de corpo e alma nessa história de manter um blog e levar ele super a sério.

As palavras da Debbie serviram como um lembrete de que tá tudo bem eu me mostrar super empolgada e animada com o Parece Óbvio – porque, se eu não fizer isso primeiro, quem mais vai fazer? Por mais que em alguns momentos a minha insegurança teime em tentar falar mais alto; por mais que eu às vezes sinta vergonha e tenda a diminuir a importância que ele tem pra mim; a verdade é que o é super importante sim, e que eu me sinto cada dia mais animada e motivada a continuar. E que tá tudo bem admitir isso!

Tá tudo bem dividir com o mundo a minha empolgação. Tá tudo bem dividir com o mundo a sua empolgação também.

Sejamos os nossos maiores fãs. Se nós não formos essas pessoas primeiro, ninguém mais vai ser.



compartilhe




posts relacionados



comentários


0 Comments

  1. Eu pensava igualzinho! Não queria contar nada para ninguém, pois se desse errado teria que admitir o fracasso. Mas pensar assim realmente nos coloca para baixo né! Antes de começar já pensamos no fracasso. É muito melhor e importante ser seu próprio fã =)

  2. Pare de ler mentes.

    Fui visitar minha página do facebook e me deparei com o meu maior projeto até hoje: a minha primeira viagem internacional.
    Mas me lembrei que apenas 1 semana antes (quando tudo já estava pronto e eu ia sair de férias) avisei algumas pessoas. Além de que quando voltei não falei como foi incrível para TODO mundo. Só para poucas pessoas, de novo.
    Não sabia até agora que o motivo era esse! Medo.

    Hoje a cada coisinha irei me parabenizar e avisar o mundo o que foi que fiz. Obrigada.
    #suafã e minha também <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *